Design sem nome (7).png

Comunidades tradicionais, Quilombos e Artistas Negros fazem parte das produções artísticas da TaDito

 

Idealizado pelo curador artístico e produtora cultural  Diego Dionisio  a produtora trabalha as temáticas brasileiras, sagradas e profanas, nos ultimos anos a produtora coloca como protagonista artistas populares, artístas de rua e artístas e coletivos negros, fomentando difuldindo e salvaguardando este seguimento

Entre as ações voltadas às culturas afro-brasileiras,  tem em seu elenco artistas dos grupos Gê de Lima, Baobá, Cia Odará,  Coletivo 011 de Samba Roque, Raquel Tobias entre outros .

Formada por uma equipe de produtores que transitam em diversas vertentes culturais, a TáDito desenvolve trabalhos voltados às manifestações de conteúdo cultural e artístico contemplando criação, planejamento e coordenação de ações que caracterizam a realização completa das etapas que formam um projeto cultural.

Diego Dionisio  Divineiro.jpg
www.rafaelberezinski.comDSC_7445.jpg
Diego Dionisio - São Benedito.jpg
127453407_3886020848076822_7699624322971026849_n.jpg

Diego Dionísio

Nascido em 1981 na cidade de Guarulhos/SP, neto de caipiras da cidade de Assis do interior de São Paulo e de Congadeiros migrados para Guarulhos, tem sua trajetória na área das artes e da cultura desde os 15 anos quando resolveu fazer teatro e cinema ainda quando estudava no Colégio Integrados de Guarulhos e nas aulas de teatro no Teatro Padre Bento. 

Aos 19 anos ingressa nos estudos acadêmicos na área de Comunicação Social com foco no Jornalismo e Documentário. Através do seu envolvimento como comunicólogo, ainda no primeiro ano de faculdade é apresentado ao Festival da Cultura Paulista Tradicional - Revelando São Paulo onde começou como estagiário, e, 15 anos depois, encerrando este ciclo como pesquisador, jornalista e gestor de cultura para as pastas culturas indígenas, manifestações e comunidades tradicionais, quilombolas, tropeiras, caiçaras, caipiras, entre outros.

Em 2006, começou a fazer parte da Comissão Paulista de Folclore, com indicação do seu Mestre Toninho Macedo. Em 20 anos de participação, inicialmente foi responsável pela divulgação e assessoria de imprensa do grupo e em 2016 é eleito como Presidente da Comissão Paulista de Folclore. Junto com sua Mestra Neide Rodrigues Gomes, foi realizado o curso de atualização do folclore por meio também do Instituto Ora Viva São Gonçalo, Congressos, seminários, rodas de conversas e a publicação do Livro Verônicas  da cidade de Joanópolis. Também junto com a Professora Neide, assumem uma cadeira no Conselho Estadual de Turismo, com foco no turismo rural e religioso.

Paralelo ao Festival Revelando São Paulo e a Comissão Paulista de Folclore, em 2008 começa a trajetória com a Rede Globo de Televisão onde passa ser o interlocutor das parcerias institucionais entre a emissora e o Festival. Com o passar dos anos, Diego Dionísio passa a ser curador artístico de intervenções e projetos culturais da emissora. Entre os projetos, destacamos o Verdejando, Sabor Paulista, Arte na Rua dança, Arte na Rua Consciência Negra e o Arraial Arte na Rua - sendo este o projeto de maior visibilidade e público.

Em 2019, entrou para a Secretaria de Cultura da Cidade de São Paulo, coordenando os projetos culturais nos museus da cidade. A princípio com a tarefa de projetar o acervo do folclorista Rossini Tavares de Lima, entretanto realizou também exposição no Museu Solar da Marquesa e no Museu Casa Sertanista.

A trajetória no município, tem passagem rápida, pois assumiu o cargo de assessor técnico de gabinete do Secretário Estadual de Cultura nos anos 2017 e 2018. Como gestor de política pública Estadual, cuidou dos projetos: Pontos de Cultura, Festival de Bandas e Fanfarras, Virada Cultural Paulista em 19 cidades e a coordenação do Festival Revelando São Paulo e do espaço Revelando Turismo.
Ainda na Secretaria Estadual de Cultura, foi parecerista do PROAC edital por 6 anos na categoria Cultura Popular Tradicional e assumiu umas das cadeiras do Proac ICMS .

 

É Especialista em Inventário e Registro do Patrimônio Imaterial pela Crespial Cátedra da Unesco no Chile e Gestão e Salvaguarda do Patrimônio Imaterial pelo Instituto Patrimônio Histórico Artístico Nacional – IPHAN.

Entre 2020 e 2021, assumiu o cargo de Coordenador Institucional do Museu Afro Brasil, o segundo maior museu com esta temática. Na rápida passagem, fez parte da realização da exposição “Foram os homens e as mulheres negras que construíram a identidade nacional: vidas negras do Brasil”; a mostra conta com os trabalhos de seis artistas plásticos que grafitaram a fachada externa da instituição, localizada no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. E também fez uma ação junto ao Google no projeto "Consciências Negras", uma sessão inteiramente dedicada à cultura afro-brasileira em sua plataforma Arts and Culture.

CEO da Tádito Produção e Conteúdo, nome que também faz a homenagem ao santo festeiro São Benedito, e onde sua trajetória já sólida e empoderada, começa a fazer produções culturais e artísticas dando prioridade a produtores culturais, artistas, pesquisadores e fornecedores da área da cultura, LGBTQIA+, pretos e pretas, mulheres e nordestino.

Entre as realizações, Diego Dionisio produz pela Tádito e faz a curadoria artística dos projetos: Festival Efemere, Festival Histórico de São Paulo, Festival Divercidade do Facebook, Patrimônios Vivos, Sampa Samba Rock, Rainhas do São João, Bixiga-se,  Festival do Café, Virada Cultural Paulista, Parada do Orgulho Gay, Festival de Natal da Caixa Econômica, Festival de Natal do Mercadão de São Paulo e Encontro de danças populares no Sesc.