mademe
mademe.jpeg

MADAME 
Inspirado na figura emblemática de Madame Satã (1900-1976), “Madame” é o novo espetáculo teatral assinado pelo dramaturgo Márcio Telles, da Companhia Odara. O monólogo tem o próprio Márcio interpretando Madame. Uma figura emblemática, arisca, cheia de contradições e dona de um cabaré onde, além de receber apresentações artísticas e acolher a luxúria e a cena boêmia, é palco de contestações sociais como o racismo, a lgbtfobia, a intolerância religiosa e defender a identidade  de gênero. 
Em sua concepção,  Madame que sobe ao palco é uma figura em transformação contínua, que troca de figurino como quem troca de pele, a serpente do arco-íris de Oxumarê. O Ouroboros que pica e também cura. Entre sombras e luzes, Madame envolve o público com seus enredos, sotaques e mandingas, percorrendo caminhos circulares e ancestrais das encruzilhadas, madrugadas, terreiros de candomblés e a apoteose do Carnaval. Sagrado e o profano juntos para celebrar narrativas de resistência.
O espetáculo tem direção de Marcelo Drumond, texto de Márcio Telles e produção executiva de Diego Dionísio.
As apresentações ocorrem nos dias 26 e 27 de fevereiro,  na Vila Itororó,  seguindo depois  em curta  temporada no Teatro Oficina em março.

FICHA TÉCNICA:
Atuação e Autoria : Márcio Telles
Direção : Marcelo Drumond
Produção executiva:Diego Dionísio
Produção Geral: Tadito produção 
Assistente de Produção : Anderson Vaz
Direção musical : Ito Alves
Preparação Vocal : Rafaela Romam
Percussão: e operação de som: André Lagartixa
Iluminação: tadito produção 
Assessoria de Imprensa : Baobá Comunicação
Imagen : Jennifer Gllaz